EZTEC na Mídia

SÃO PAULO - A Gradual Investimentos divulgou nesta quarta-feira (5) sua estratégia semanal para o mercado acionário, tendo como mudanças em relação à semana anterior a entrada dos papéis do Fibria, redução do peso de Br Foods (de 10% para 5%) saída da Cielo (CIEL3).

A carteira recomendada até 12 de janeiro está norteada pela expectativa de agênda econômica favorável no cenário externo, como a divulgação de indicadores positivos e aperto monetário no Brasil, com a elevação da taxa Selic, o que favorece o setor bancário, representado na carteira pelo Itaú Unibanco.

A corretora justifica a entrada da Fibria na carteira em função do "fôlego financeiro adquirido pela empresa pós-venda da Conpacel à Suzano", afirma o relatório.

Upside reduzido diminui peso da BR Foods

Já a redução de peso da BR Foods ocorreu em razão da necessidade de redução de exposição a um papel com upside (potencial teórico de valorização) limitado, segundo o preço-alvo estabelecido pela corretora.

A Cielo, por sua vez, foi retirada do portfólio recomendado graças ao noticiário negativo acerca da empresa, que dá conta da saída de seu CFO (Chief Financial Officer) e a entrada de novos players no mercado.

Desempenho

Nos últimos 7 dias a carteira recomendada semanal da Gradual apresentou performance inferior ao Ibovespa, tendo valorizado-se 1,53% enquanto o índice apresentou ganhos de 3,35%.

Porém, no acumulado da carteira desde 9/9/2008 a corretora apresenta vantagem em relação ao Ibovespa, tendo avançado 106,85% enquanto o principal índice da bolsa paulista cresceu 45,18%.

Carteira recomendada:

Empresa Código Preço-alvo Upside* Peso na carteira
Petrobras PETR4 R$37,50 39,4% 15,0%
Vale VALE5 R$60,50 19,0% 10,0%
Lojas Americanas LAME4 R$20,00 30,7% 10,0%
Eternit ETER3 R$13,00 16,3% 10,0%
EZTEC EZTC3 R$16,00 15,9% 10,0%
Itaú Unibanco ITUB4 R$48,50 21,3% 10,0%
BR Foods BRFS3 R$30,00 9,5% 5,0%
Randon RAPT4 R$15,10 27,2% 10,0%
Fibria CIEL3 R$35,00 29,9% 10,0%
Gerdau GOAU4 R$28,20 34,8% 5,0%
Cremer CREM3 R$23,00 31,4% 5,0%

*Potencial teórico de valorização com base no fechamento de 4/1/2011

FONTE: InfoMoney - Equipe InfoMoney - 05.janeiro.2011