EZTEC na Mídia

SÃO PAULO - Visando o investimento ao longo do ano de 2011, a Planner Corretora divulgou portfólio de ações sugeridas para o período, com destaque para os ganhos decorrentes de processos de aquisições, parcerias e para papéis de empresas voltadas ao investimento em infraestrutura.

Aquisições e parcerias

A inclusão da Cesp é motivada pela possível renovação das concessões do setor elétrico com vencimento para 2015, o que abrirá caminho para o processo de privatização da companhia, ao passo que a expectativa de aprovação da joint-venture entre a Cosan e a Shell possibilita à empresa sucroalcooleira integrar a lista de papéis sugeridos para o ano, uma vez que os ganhos de sinergia - estimados entre R$ 1 bilhão e R$ 1,6 bilhão - devem trazer valor ao acionista.

Ainda no cenário de parcerias e negociações, os papéis do Pão de Açúcar devem se beneficiar através de sinergias resultantes da aquisição do Ponto Frio e pelo expertise da Casas Bahia, incrementando a participação no atendimento à classe baixa, cuja possibilidade de crescimento é considerada muito alta pelos analistas.

Empresa Ticker
CCR CCRO3
CESP CESP6
Confab CNFB4
Cosan CSAN3
EZTEC EZTC3
LLX LLXL3
Mills MILS3
OGX OGXP3
Pão de Açúcar PCAR5
Tractebel TBLE3

Destaques setoriais

Enquanto isso, a EZTEC permanece com os melhores fundamentos da construção civil, aponta o relatório. "Foi a primeira a atingir a meta de lançamentos para 2010 e permanece com boa velocidade de vendas", justificam. Por outro lado, o projeto do super porto do Açu leva as ações da LLX a serem incluídos no portfólio, já que as indústrias darão vazão às exportações e agilizarão processos de importação de matéria-prima por este complexo.

Mas o destaque no setor de petróleo e gás ficou por conta das ações da OGX. "A excelente taxa de sucesso com a comprovação da presença de hidrocarbonetos na grande maioria dos poços em que opera, o início de produção em 2011, aliado à monetização (farm out) de cerca de 20% de suas reservas, são fatores que podem beneficiar as ações", revelam.

Ainda no quesito óleo e gás, estes são os segmentos com a mais forte demanda por investimentos, motivo que impulsionou os papéis da Confab a fazerem parte da lista. A empresa prevê o aporte de R$ 270 milhões até 2013, sendo que R$ 97 destes já foram realizados em 2010. Outros segmentos importantes para a companhia são o petroquímico, celulose, açúcar, álcool e mineração.

Mills, Tractebel e CCR

Os analistas justificam a entrada da CCR devido à exposição ao crescimento interno e com um baixo nível de endividamento. Além disso, a ação apresenta baixa volatilidade e é considerada como defensiva.

Já a escolha pela Mills ocorreu devido aos planos de investir R$ 1,1 bilhão entre 2010 e 2012, de modo a viabilizar a expansão geográfica no mercado brasileiro e atender à demanda crescente no setor de infraestrutura, que deverá ser impactado pela expansão do crédito imobiliário, pelo PAC (Programa de Aceleração de Crescimento), pelo Minha Casa, Minha Vida e por investimentos na indústria de óleo e gás e outros decorrentes da Copa do Mundo de 2014 e dos Jogos Olímpicos de 2016.

Por fim, as usinas de Estreito e Jirau, da Tractebel, deverão entrar em operação em 2011 e 2012, respectivamente. "Esses projetos incrementarão a geração de resultado da empresa. Além disso, o preço de energia deve seguir em patamar elevado, beneficiando-se em sua estratégia de alocação", justifica o relatório.

Carteira de dividendos

Ademais, foi divulgado também um portfólio de papéis conhecidos por serem bons pagadores de dividendos. "Procuramos unir algumas condicionantes para o portfólio de dividendos, começando por uma diversificação de setores, regularidade de Pay Out‘s ótimos ao longo dos últimos anos, frequência no mínimo semestral de pagamentos, expectativa de resultados crescentes, dividend yield‘s acima da média e bons volumes de negociação na BM&F Bovespa", esclarece o relatório.

No entanto, alguns papéis podem apresentar um potencial teórico de valorização baixo. "É importante ressaltar, contudo, que geralmente grandes pagadoras de dividendos (...) são consideradas empresas de defesa em momentos de maior volatilidade dos mercados, e com isso não ter performance em linha com o Índice Bovespa", afirmam os analistas responsáveis pelo relatório.

Empresa Ticker Preço-alvo* Dividend-yield
Telesp TLPP4 R$42,00 10,0%
AES Tietê GETI4 R$24,29 9,5%
Eternit ETER3 R$12,02 9,0%
Tramsmissão Paulista TRPL4 R$54,00 9,0%
CPFL Energia CPFE3 R$45,30 8,3%
Eletropaulo ELPL6 R$16,26 8,0%
Comgás CGAS5 R$45,25 8,0%
Souza Cruz CRUZ3 R$94,00 5,0%
AmBev AMBV4 R$53,00 4,0%
CCR Rodovias CCRO3 R$52,00 4,0%
CSN CSNA3 R$33,00 4,0%
Tractebel TBLE3 R$32,04 3,3%

FONTE: InfoMoney - 19.janeiro.2011