EZTEC na Mídia

SÃO PAULO - A Coinvalores divulgou suas recomendações para o mês de julho, acreditando que a bolsa paulista ainda terá influências significativas da questão inflacionária no Brasil e na China, assim como da crise da dívida na Europa e da recuperação norte-americana, para onde o foco do mercado deverá estar.

Em relação ao portfólio publicado no mês anterior, a corretora fez algumas alterações: Iguatemi (IGTA3), Ultrapar (UGPA4), Brookfield (BISA3) e Ecorodovias (ECOR3) dão lugar à BR Malls (BRML3), Braskem (BRKM5), EZTEC (EZTC3) e Localiza (RENT3).

Vale mencionar que as recomendações da Coinvalores apresentaram queda de 2,10% em junho. Ainda assim o portfólio superou o Ibovespa em 1,33 pontos percentuais, já que o índice paulista recuou 3,43% no mesmo período.

Conjuntura econômica

Na conjuntura brasileira, a Coin lembra que a queda recente da inflação se deve a fatores sazonais, e que esta deve voltar "com força", algo que o Banco Central também parece entender, o que faz com que a corretora acredite que o fim do ciclo de aperto monetário não deverá vir em julho.

Além disso, a economia lança sinais controversos, com arrefecimento da indústria por um lado e mercado de trabalho aquecido por outro. Contudo, a percepção da corretora é de que a tendência esteja voltada para uma "acomodação ordenada", que deverá ocorrer gradualmente no segundo semestre.

O foco, porém, deverá ficar com os Estados Unidos, onde o início da temporada de balanços corporativos e o embate político a respeito do aumento do teto de endividamento político deverão chamar a atenção. Esse segundo assunto é especialmente importante e deverá, na visão da corretora, impactar negativamente os mercados.

A corretora ressalta a fuga dos investidores do mercado acionário, refletindo o "desânimo e pessimismo" nos mercados. Para julho, a Coin ressalta a frágil situação da crise da dívida grega, já que o país está exposto a muitos riscos, com dívida alta e dificuldade de cumprir suas metas fiscais.

A corretora teme que as agências de classificação de risco entendam a participação do setor privado na reestruração da dívida grega como um default. Além disso, ainda no velho continente, a desconfortável inflação pode virar alta na taxa de juros, mesmo em um momento em que várias economias passam por mal bocados.

Esse também é o temor da Coin para a China, onde a desaceleração da economia já é vísivel, mas onde o controle econômico não deverá relaxar, para diminuir lentamente e gradualmente a atividade.

Confira a carteira recomendada para julho:

Empresa Código Preço-alvo* Upside** Peso
TIM TCSL4 - - 5%
Tele Norte Leste TNLP4 - - 5%
CCR CCRO3 - - 5%
SulAmerica SULA11 - - 5%
Odontoprev ODPV3 - - 5%
Marcopolo POMO4 R$8,50 22,30% 5%
Randon Part RAPT4 R$18,00 43,77% 5%
Itaú Unibanco ITUB4 R$49,00 35,32% 6%
Localiza RENT3 R$35,00 30,11% 5%
Mills MILS3 - - 5%
Multiplus MPLU3 - - 5%
BR Malls BRML3 R$23,00 32,56% 5%
Vale VALE5 R$66,00 42,52% 7%
Petrobras PETR4 R$35,00 48,87% 5%
Lojas Renner LREN3 R$78,00 30,39% 5%
Braskem BRKM5 - - 5%
Tractebel TBLE3 - - 6%
Cemig CMIG4 R$ 37,00 17,83% 5%
EZTEC EZTC3 - - 6%

* Preço-alvo para 12 meses

**Potencial de valorização em relação ao fechamento de 6 de julho

FONTE: InfoMoney - Equipe InfoMoney - 06.junho.2011