EZTEC na Mídia

PDG e Brookfield seguem como as preferidas entre as companhias maiores; Even, Tecnisa e EZTEC são as prediletas entre as menores.

O analista David Lawant, da Itaú Corretora, não espera grandes surpresas para os resultados do setor de construção do 2º trimestre.

Em média, ele prevê aumento da receita líquida de 9% ante o trimestre anterior e avanço de 16 pontos-base na margem de lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização, o chamado Ebitda. Para o lucro líquido, a previsão é de crescimento de 16%.

Na visão do analista, considerando que a maior parte dos resultados pré-operacionais das companhias do setor já foi divulgada (com exceção de Rossi e MRV), o foco deve se voltar para as margens operacionais, o ritmo de queima de caixa e o nível de endividamento.

A expectativa de Lawant é de que o setor entregue no primeiro semestre 35% dos lançamentos estimados para o ano, em linha com o apresentado no mesmo período do ano passado, e apresente velocidade de vendas de 27%, um pouco abaixo do exibido em 2010.

O analista não alterou as recomendações para as companhias, mas revisou as estimativas, incorporando o novo cenário macroeconômico e as expectativas para os resultados do segundo trimestre.

PDG e Brookfield seguem como as preferidas entre as companhias maiores, assim como Even, Tecnisa e EZTEC são as prediletas entre as de menor porte.

FONTE: Brasil Econômico - 18.julho.2011