EZTEC na Mídia

SÃO PAULO - Diante do cenário macroeconômico conturbado, a maior desvalorização do mês no Ibovespaficou com o setor de contrução civil, que fechou em queda de 24,7%. Diante disso, após ter ganhado destaque entre as carteiras de recomendação no mês de setembro - por conta do entusiasmo devido ao corte de juros anunciados no final do mês de agosto, aliados aos bons resultados e à revisão dos guidances -, o número de votos reduziu nas carteiras sugeridas pelas casas de research no mês de outubro.

Entre as empresas mais citadas do setor no mês de setembro, apenas a EZTEC (EZTC3) garantiu as sete recomendações para o mês de outubro. Por outro lado, as ações da PDG (PDGR3), que foram citadas em 11 carteiras no mês de setembro, reduziram a participação para seis em outubro, enquanto a MRV (MRVE3), citada em quatro portfólios em setembro, não foi citada em nehuma carteira neste mês.

Segundo analistas, apesar do cenário favorável para o setor, a maior vulnerabilidade diante da possível instabilidade por conta do cenário externo desfavorável, reduziu o número de recomendações para o mês. De acordo com a Citi Corretora, que optou por excluir as ações da MRV Engenharia da carteira sugerida para outubro, a decisão foi feita em busca de setores menos vulneráveis à economia externa.

"Apesar de a redução dos juros ser positiva para o setor de construção, o receio com relação ao cenário internacional e com os rumos da inflação no Brasil devem impedir que os investidores tomem posições maiores neste setor no curto prazo", explicam os analistas Fernando Siqueira e Hugo Rosa.

FONTE: InfoMoney - Nara Faria - 07.outubro.2011