EZTEC na Mídia

SÃO PAULO - Neste ano, o Brasil tende a continuar sofrendo, pelo menos inicialmente, as consequências de um menor crescimento global, mas a tendência é de certa recuperação após o primeiro trimestre, com ritmo mais consistente a partir da segunda metade do ano. Esta é a opinião do BB investimentos, que traça suas perspectivas para a conjuntura macroeconômica brasileira nos doze próximos meses e, por consequência, indica os melhores setores e papéis para apostar em 2012.

"A piora do cenário internacional, decorrente da crise da dívida soberana na Zona do Euro a partir do segundo semestre de 2011, ainda se faz presente, com perspectivas gerais que seus efeitos tendem a acentuar no primeiro trimestre de 2012, pressionando osmercados", diz a equipe de análise do banco, em relatório.

Segundo o documento, depois de março, a recuperação será impulsionada pelos efeitos das baixas anteriores da taxa Selic, da trajetória de declínio da inflação e com a recomposição de estoques pelas empresas. As expectativas de uma retomada mais forte no segundo semestre têm como fundamento as possibilidades de que mais medidas pró-ativas do Governo e a continuidade do afrouxamento monetário pelo Banco Central, desde o início do ano, deverão surtir efeito.

Para o BB, a evolução do consumo privado e a disponibilidade de crédito permanecerão como drivers do crescimento neste ano. "Ainda acreditamos que o País deverá ascender dentro da escala de grau deinvestimento, seguindo as estimativas de crescimento acima da média para o biênio 2012-2013, juntamente com outros emergentes como China e Índia", acrescentam os especialistas.

Top picks

Com base nessas premissas, os analistas indicam as projeções e recomendações setoriais da bolsa brasileira, cujo principal índice, o Ibovespa, deverá encerrar o ano a 67 mil pontos no que depender da visão do BB.

Dos onze setores analisados pela equipe, seis receberam perspectivas positivas e cinco receberam visões neutras. Dezessete papéis foram eleitos como os top picks; entre eles, as ações de blue chips como Petrobras (PETR3; PETR4), Vale (VALE3; VALE5) e Bradesco (BBDC3; BBDC4).

Confira a tabela abaixo:

Setor Viés Top Picks
Agronegócio Positivo BR Foods (BRFS3), Cosan (CSAN3)
Bancos Positivo Bradesco (BBDC3; BBDC4)
Bens de capital Neutro Iochpe-Maxion (MYPK3)
Construção civil Positivo EZTEC (EZTC3); Cyrela (CYRE3)
Logística e Transportes Positivo CCR (CCRO3); Localiza (RENT3)
Mineração Neutro Vale (VALE3; VALE5)
Papel e Celulose Neutro Klabin (KLBN3; KLBN4)
Petróleo, Gás e Petroquímico Positivo Petrobras (PETR3; PETR4)
Siderurgia Neutro Gerdau (GGBR3; GGBR4)
Telecomunicações Neutro Vivo - controlada por Telefônica Brasil (VIVT4)
Varejo e Consumo
Positivo Cia. Hering (HGTX3); Lojas Renner (LREN3);
Natura (NATU3); Raia Drogasil (RADL3)

FONTE: InfoMoney - Mariana Mandrote - 17.janeiro.2012