EZTEC na Mídia

SÃO PAULO - Mostrando recuperação de parte das perdas registradas nos últimos pregões, o Ibovespa operava por volta de 13h20 (horário de Brasília) em alta de 2,36% no pregão desta sexta-feira (29). O mercado reage positivamente nesta sessão a reunião de cúpula da União Europeia, que mostrou resultados, ao contrário das expectativas.

No primeiro dia do econtro, os líderes concordaram em promover uma série de medidas concretas de combate à crise, o que já se reflete na pré-disposição dos investidores em assumir mais riscos. No mercado secundário de títulos públicos, o rendimento dos papéis da Zona do Euro arrefeceram, com destaque para Espanha (-6,58%), Itália (-4,96) e Grécia (-2,17%).

A reunião acabou ofuscando outras notícias, como a inesperada queda nas vendas no varejo alemão em maio. No Japão, também um dado negativo: a produção industrial de maio sofreu o maior recuo desde o terremoto de março de 2011. Já na agenda norte-americana, a atividade industrial na região de Chicago mostrou desempenho ligeiramente pior que o esperado pelo mercado em junho, enquanto a confiança do consumidor norte-americano veio pior do que o esperado no mês de junho.

Recuperação das ações do grupo EBX

No setor corporativo, após o massacre dos últimos dias, as ações da empresas do Grupo EBX do empresário Eike Batista ensaiam uma recuperação, com destaque para as ações da MMX (MMXM3, R$ 5,72, +14,40%), que lideram os ganhos registrando no Ibovespa.

Já o caso dos ativos da OGX Petróleo (OGXP3), que recuaram quase 40% nos dois últimos dias, avançam 4,16% nesta sexta, cotados a R$ 5,26. Outros ativos do Grupo EBX também mostram recuperação, como é o caso da LLX (LLXL3, R$ 2,16, +5,37%) e a MPX (MPXE3, R$ 30,65, +2,10%). Os papéis da OSX, no entanto, são os únicos que seguem com forte desvalorização nesta sexta-feira, cotados a R$ 8 89 - variação negativa de 4,82%.

Na véspera, a OGX comunicou a substituição Paulo Mendonça, antigo presidente, será substituído por Luiz Eduardo Guimarães Carneiro, atual CEO (Chief Executive Officer) da OSX Brasil, responsável pela produção do equipamento utilizado pela empresa. Mendonça deve assumir uma posição de conselheiro para a presidência do grupo EBX, holding que controla as empresas do megaempresário de Eike Batista.

Na noite de terça-feira, a companhia divulgou comunicado dizendo que a vazão de óleo nos primeiros poços perfurados pela empresa no campo Tubarão Azul (antigo Waimea), na bacia de Campos, é de 5 mil barris de óleo equivalente (boe) por dia, apenas um terço do que o mercado esperava.

BTG negocia compra do BMG

Além disso, segundo notícia veiculada no jornal Valor Econômico, o banco BTG Pactual (BBTG11, R$ 29,51, +0,03%) estuda comprar o BMG, após a tentativa frustada de adquirir o Cruzeiro do Sul. Segundo a publicação, as negociações envolvem a manutenção da família Pentagna Guimarães no BMG. O banco de André Esteves deve assumir o controle, mas os atuais controladores deve continuar com participação relevante na instituição. Entretanto, na véspera, a colunista Sonia Racy havia afirmado que o Bradesco comprou o BMG.

Credit reduz participação na Gafisa

No setor imobiliário, a Gafisa (GFSA3, R$ 2,61, +6,53% ) comunicou ao mercado a redução de participação do Credit Suisse Hedging-Griffo (CSHG) no capital social da companhia de 5,3% para 4,63%, correspondente a 20.021.100 ações ordinárias de emissão da empresa. Desta forma, o Credit deixa de acumular participação acionária relevante na Gafisa.

EZTEC anuncia lançamento emJundiaí

No mesmo setor, a EZTEC (EZTC3, R$ 20,62, +2,43%) anunciou o lançamento do empreendimento In Design, localizado em Jundiaí. O projeto contará com 1 torre de uso misto, totalizando 240 unidades residenciais de médio padrão com áreas de 48m² e 182 unidades comerciais com áreas de 33m² a 450m², para um VGV (Valor Geral de Vendas) total de R$ 108,9 milhões.

Abril Educação compra SGE

Já a Abril Educação (ABRE11, R$ 27,87, +0,61%) comprou a SGE Comércio de Material Didático por meio da sua subsidiária Caep (Central Abril Educação e Participações), em comunicado enviado ao mercado nessa quinta-feira (28). O valor total da aquisição é R$ 44 milhões.

"A aquisição propiciará à companhia as condições para o estabelecimento de uma presença mais relevante em regiões, com forte potencial de expansão e onde a venda de sistemas de ensino para governos municipais ainda é incipiente", disse em comunicado. A SGE tem forte atuação no Norde, Nordeste e Centro-Oeste.

Anheuser-Busch InBevcompra 50% de grupo mexicano

Além disso, a Anheuser-Busch InBev, controladora da Ambev (AMBV4, R$ 77,54, +2,04%) no Brasil, confirmou a compra dos 50% do grupo mexicano Modelo que ainda não possui por US$ 20,1 bilhões, de acordo com comunicado publicado nesta sexta-feira (29).

A proprietária das marcas Budweiser e Stella Artois chegou a um acordo com as famílias controladoras da Modelo para garantir a posição de liderança no crescente mercado mexicano de cerveja e controlar a marca Corona, a mais vendida do país.

Novas ações da Suzano

Vale mencionar ainda que as novas ações da Suzano (SUZB5, R$ 3,99, +4,45%), decorrentes da oferta que resultou em uma captação de R$ 1,4 bilhão registram queda de 1,25%, aos R$ 3,95, após serem precificados a R$ 4,00 na noite de quarta-feira.

Por sua vez, os papéis que já eram negociados na bolsa mostram forte valorização de 3,40%. Isso acontece depois da forte retração de 6,14% da véspera, quando terminaram cotados a R$ 3,82, na mínima do dia.

A Suzano emitiu 369,7 milhões de ações, após o exercício total dos lotes suplementar e adicional, distribuídas entre três classes de ações: SUZB3, SUZB5 e SUZB6. No entanto, apenas a SUZB5 possui um volume de negócios significativo, já que as outras sequem possuem negociações nesta data.

Biosev publica prospecto preliminar de IPO

Por fim, a Biosev S.A., empresa de commodities do grupo Louis Dreyfus e que se autodenomina como o maior processador mundial de cana-de-açúcar, publicou nesta sexta-feira (29) o prospecto preliminar de seu IPO (Initial Public Offering), no qual pode captar até R$ 1,14 bilhões. A empresa fará uma oferta inicial de 41,2 milhões de ações ordinárias

FONTE: InfoMoney - Nara Faria - 29.junho.2012