EZTEC na Mídia

SÃO PAULO - No mês de julho, a ação da M. Dias Branco (MDIA3) foi a small cap que mais apareceu nas carteiras compiladas pelo Portal InfoMoney, sendo citadas em 7 dos 30 portfólios recomendados para este mês. A companhia ganhou uma posição em relação ao mês anterior, quando recebeu cinco votos dos analistas.

Em seguida, aparece a ação da Raia Drogasil (RADL3), com seis recomendações, enquanto a Valid (VLID3) e a EZTEC (EZTC3) ocupam a terceira posição do ranking, com cinco recomendações cada uma. Enquanto isso, a Odontoprev (ODPV3) e a OHL (OHLB3), que lideraram o número de recomendações no mês anterior, passaram para o quarto lugar, com 4 citações, dividindo a mesma posição com a Marcopolo (POMO4) e a Abril Educação (ABRE11).

M. Dias Branco: resiliência e crescimento com aquisições

Dentre os motivos apresentados para recomendar as ações da M. Dias Branco, a casa de research Empiricus ressalta a exposição da companhia a um segmento de altas e sustentáveis taxas de crescimento, além da habilidade de tocar fusões e aquisições.

A Geral Investimentos destaca ainda o processo de verticalização da empresa em andamento, visando ganhos de eficiência e a diminuição do impacto do preço das matérias-primas na matriz de custo.

Além disso, o valuation descontado em relação aos seus pares no setor de alimentos e as boas perspectivas para a companhia em 2012, após os bons resultados do primeiro trimestre, são fatores apontados pela Citi Corretora como bastante positivos, além dos ganhos de sinergia com as aquisições recentes.

A companhia vem ganhando um forte destaque nos últimos meses, devido à combinação de seu forte crescimento e de sua resiliência em relação ao mercado externo. Assim, a empresa, que antes era pouco visada pelos analistas, está sendo cada vez mais lembrada por eles na hora de montar o portfólio de recomendações para o mês.

Raia Drogasil: fase de consolidação

Em segundo lugar no ranking, aparece a ação da Raia Drogasil. Com a perspectiva de piora do cenário macroeconômico global, a UM Investimentos optou por manter as ações da companhia, avaliando como positivos o potencial de crescimento no segmento de genéricos nos mercados mais maduros devido ao vencimento de patentes, a absorção de sinergias decorrentes da fusão, além dos bons resultados apresentados no primeiro trimestre.

Já a SLW Corretora ressalta que, além das perspectivas de ganhos com a fusão ao melhorar as negociações com os fornecedores e distribuidores, haverá um importante ganho logístico. "Vale mencionar ainda que o setor está passando por uma fase de consolidação, e enxergamos a Raia Drogasil como um importante player consolidador", conclui a equipe de análise da corretora.

Outras recomendações

A Multiplus (MPLU3) e a JHSF (JHSF3) ocupam a quinta posição do ranking, com três citações cada uma. Ainda foram citados duas vezes os ativos da Lojas Marisa (AMAR3), BR Properties (BRPR3), Kroton (KROT11), SLC Agrícola (SLCE3), Minerva (BEEF3), Even (EVEN3), Localiza (RENT3), Dasa (DASA3), Grendene (GRND3) e Helbor (HBOR3).

Foram citadas uma vez os papéis da Arezzo (ARZZ3), Banco Panamericano (BPNM4), Coelce (COCE5), Copasa (CSMG3), Equatorial (EQTL3), Hypermarcas (HYPE3), Paranapanema (PMAM3), Saraiva (SLED4), Tecnisa (TCSA3), Estácio (ESTC3), Magnesita (MAGG3), Iochpe-Maxion (MYPK3), SulAmérica (SULA11), Totvs (TOTS3), Aliansce (ALSC3), Magazine Luiza (MGLU3), Mills (MILS3), ABC Brasil (ABCB4), Fleury (FLRY3), HRT Petróleo (HRTP3), Positivo (POSI3) e Suzano (SUZB5).

Metodologia do ranking

Ao todo, 30 carteiras de bancos e corretoras foram utilizadas para este levantamento. Os portfólios selecionados foram: Ativa, BB Investimentos, Bradesco, BTG Pactual, Citi Corretora, Coinvalores, Credit Suisse, Empiricus Small Caps, Geração Futuro, Geral, Gradual, HSBC, Omar Camargo (2 carteiras), PAX, Planner, Rico, SLW (3 carteiras), Socopa, Souza Barros, Técnica (3 carteiras), TOV, Um, XP (2 carteiras) e WinTrade.

Entre todas as carteiras publicadas pela InfoMoney em julho, nesta compilação apenas não foram considerados os portfólios com sugestões de ações que tenham perspectiva de pagamento de proventos.

Cabe mencionar que, segundo a BM&F Bovespa, "as empresas que, em conjunto, representarem 85% do valor de mercado total da bolsa são elegíveis para participarem do índice MLCX (Mid Large Caps). As empresas que não estiverem incluídas nesse universo são elegíveis para participarem do índice SMLL. Não estão incluídas empresas emissoras de BDRs (Brazilian Depositary Receipts) e empresas em recuperação judicial ou falência".

Avalie este vídeo:

FONTE: InfoMoney - Lara Rizério - 10.julho.2012