EZTEC na Mídia

A tomada de decisão de compra de imóveis por parte dos consumidores continua mais lenta do que ocorria em 2010 e 2011, anos em que o mercado esteve mais aquecido. A morosidade do consumidor na compra aumentou, afirma o diretor-presidente da imobiliária focada na venda de imóveis novos com descontos Realton, Rogério Santos.

Num segmento muito sensível a variações de preços, uma das razões que contribuem para a cautela dos potenciais clientes é a expectativa que possam ser realizadas novas campanhas de descontos pelas incorporadoras nesses últimos meses do ano.

A Rossi Residencial, por exemplo, fará ação de marketing nos módulos de outlet de imóveis prontos, de quinta-feira a sábado, em Nova Iguaçu (RJ). Os descontos sobre os preços das 50 unidades disponíveis na campanha chegarão a 30%. A empresa já teve outlet em Porto Alegre, em um fim de semana de agosto, e em Vitória e Serra (ES), em outro fim de semana de setembro.

Em novembro, a Realton dará início à ação de outlets itinerantes. A primeira delas vai ocupar três mil metros quadrados, na rua da Consolação, em São Paulo. A Realton está conversando com as principais incorporadoras de capital aberto para definir quem participará da iniciativa. Essa outlet itinerante terá mais de R$ 100 milhões em imóveis novos prontos e quase concluídos. Os descontos oferecidos chegarão a 40%. A segunda outlet itinerante será em Florianópolis.

No acumulado dos nove meses, a maior parte das incorporadoras que já divulgaram prévias operacionais reduziu lançamentos, com exceção de EZTEC e Rodobens Negócios Imobiliários. A Even lançou Valor Geral de Vendas (VGV) próximo ao do mesmo período do ano passado. No caso de Direcional, a comparação considerou apenas lançamentos de incorporação. Tecnisa e Gafisa apresentaram as quedas mais acentuadas, de 54,6% e 50%, respectivamente.

Apesar de o setor ter lançado menos até setembro do que nos respectivos nove meses de 2010, o mercado não espera nova rodada de revisão de metas de lançamentos, após reduções acentuadas já terem sido anunciadas por boa parte do setor. Como faltam menos de três meses para o encerramento do ano, a avaliação é que as incorporadoras que não cumprirem suas metas vão preferir informar isso ao mercado após o encerramento do quarto trimestre a fazer novo corte.

FONTE: Valor Econômico - Chiara Quintão - 17.outubro.2012