EZTEC na Mídia

08/10/2018, por Chiara Quintão, Empresas, Valor Econômico.

https://www.valor.com.br/empresas/5909815/eztec-comecara-operar-no-minha-casa

EZTec começará a operar no Minha Casa

A EZTec - incorporadora com atuação nas rendas média a alta - lança, neste mês, seu primeiro empreendimento enquadrado no programa habitacional Minha Casa, Minha Vida, com Valor Geral de Vendas (VGV) próprio de R$ 140 milhões e que terá a marca Fit Casa. A companhia, que apresentou R$ 220 milhões, por enquanto, projeta chegar ao fim do ano com total de lançamentos de cerca de R$ 800 milhões.

"Passadas as eleições, vamos viver um novo ciclo de euforia no setor. Há uma demanda reprimida por imóveis devido ao receio do que vai acontecer com a política e a economia", diz o diretor financeiro e de relações com investidores da EZTec, Emílio Fugazza. Essa expansão da demanda ocorrerá, inicialmente, no segmento de média-alta renda, na avaliação de Fugazza.

Segundo ele, o aumento da procura por imóveis pela classe média tende a ocorrer à medida que a economia melhorar e o nível de emprego crescer. Já por imóveis do segmento econômico, continuou a haver demanda e crédito nos últimos anos, e os repasses para a Caixa Econômica Federal ocorrem na planta.

A incorporadora destinou cinco terrenos para projetos para a baixa renda, com VGV potencial de R$ 600 milhões, incluindo o lançamento da segunda quinzena de outubro. Ainda não há definição de quanto o segmento econômico irá representar do total de projetos nos próximos anos. Ainda não há definição de quanto o segmento econômico irá representar do total de projetos nos próximos anos. A maior parte das unidades do segmento será desenvolvida nos moldes do programa habitacional, mas haverá também apartamentos econômicos com valores superiores aos do Minha Casa, Minha Vida.

Todos os projetos com a marca Fit Casa na capital paulista serão desenvolvidos nas proximidades de eixos de transporte público.

O primeiro empreendimento com a marca Fit Casa será desenvolvido no bairro paulistano do Brás, na região centro-leste da capital paulista. A EZTec tem 70% do VGV total de R$ 194 milhões do empreendimento, e os demais 30% são da Sinco. Com quatro torres, o projeto terá unidades de um e dois dormitórios, a partir de 26 metros quadrados e 38 metros quadrados, respectivamente.

A companhia poderá lançar mais um projeto Fit Casa, neste ano, com VGV de R$ 132 milhões, também na capital paulista. A definição da data dependerá do desempenho das vendas do primeiro empreendimento. A EZTec lançará, em Poá, empreendimento em parceria com a Direcional Engenharia e, em Guarulhos, edifício em conjunto com a Banco de Projetos. Além desses projetos, cujas aprovações já foram obtidas, há um em processo de licenciamento.

Neste ano, a EZTec lançou dois empreendimentos. Segundo Fugazza, as vendas desses lançamentos estão "muito boas". "Mas queríamos já ter lançado mais", afirma. A razão para a apresentação de projetos ter sido postergada foi a liminar que suspendeu, por quase três meses, o direito de que projetos protocolados antes de a nova Lei de Zoneamento de São Paulo entrar em vigor pudessem seguir as regras antigas. De acordo com o executivo, as eleições não afetaram o cronograma de lançamentos.

A companhia prevê lançar outros três de padrão médio-alto neste ano. No entendimento de Fugazza, o mercado estará "muito forte" até o fim do ano. "Vamos saber o que haverá nos próximos quatro anos", afirma.